sexta-feira, 16 de julho de 2021

Fim de Safra

FIM DE SAFRA

JOTA NIL
(Tácito Silveira da Mota)

Tarde estival. A usina trepidava,
beneficiando os últimos capulhos
de algodão. O sol, duma fresta, espiava
as tulhas esgotadas. Pedregulhos,

pedras, cipós, pequenos paus, estavam
aos montes no quintal. Nos sarabulhos,
aqui e ali, a besta procurava
o capim encravado nos pedrulhos

para comer!... Um negro despejou
o derradeiro saco de algodão;
e suado, pachorrento, retirou

do carro uma garrafa de caninha
e bebeu! Um violento estremeção
sacode-o. Cospe. Alisa a carapinha...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Despedida

DESPEDIDA JOTA NIL (Tácito Silveira da Mota) Avizinha-se a hora da partida... Penso nos dias bons que se passavam adoráveis, na alegria inco...